CIDADES QUE ME DIZEM RESPEITO - Vamos conversar sobre inclusão?
Encontros, Palestras & Cursos com foco na diversidade, acessibilidade, direitos da pessoa com deficiência, vulneráveis e suporte no desenvolvimentos de habilidades
ESTRATÉGIAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA INTEGRATIVA - Foco na LINGUAGEM, INTERAÇÃO SOCIAL, COMUNICAÇÃO, COMPORTAMENTO

O projeto busca identificar indivíduos universais comunicadores
e capacitá-los como multiplicadores da conscientização da importância da informação 
correta sobre 
pessoas com deficiências, atentos às práticas inclusivas, 
visando otimizar oportunidades no mercado de trabalho.
Cidades que me dizem respeito na web: https://bit.ly/2sDwUe4

ESTRATÉGIAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA INTEGRATIVA
LINGUAGEM, INTERAÇÃO SOCIAL, COMUNICAÇÃO, COMPORTAMENTO
com fundamentos na Neurociência, Neurolinguística, Engenharia Reversa, Física Quântica e sobretudo, na ALEGRIA.


Venha participar de uma experiência inédita para aperfeiçoamento de um novo método de musicalização
para pessoas com e sem deficiências físicas, mentais, sensoriais, familiares e professores.

Você vai se surpreender com os resultados!

MUSICALIZAÇÃO INTEGRATIVA, UTILIZAÇÃO DE INSTRUMENTOS COM MATERIAL RECICLADO
E LABORATÓRIO DE RITMOS

Profs.: Guto Maia & Pitú Leal

“A música que provém do corpo à semelhança de toda a expressão – reconcilia-nos conosco,
coopera e organiza o nosso devaneio, acorda prazeres, sugere o que nós fomos
e dá-nos a voz do que queremos ser.” APMT (1998) P. 42.

SOBRE O PROCESSO COM OS NOSSOS ALUNOS

INTRODUÇÃO

O método Musicalização Integrativa trabalha a “música do corpo inteiro”, a “música do toque”, “música sem som”, e vem conseguindo excelentes resultados com jovens com e sem deficiências físicas, sensoriais e mentais, desenvolvendo maior consciência rítmica, trabalho de grupo, sensibilização ativa, respeito à diversidade/competências, reorganização mental, demonstrando-se excelente auxiliar terapêutico.

Musicalização Integrativa é um novo sistema dinâmico que promove melhorias em quatro áreas do desenvolvimento: Linguagem, Interação Social, Comunicação e Comportamento, usando a alegria como combustível principal.

Começou a ser aplicado em 2015 no Instituto Yara Angelini
/SP com alunos do NEED (Núcleo de Especialização e Ensino para o Deficiente Físico e Mental), pelo prof. Guto Maia, educador e músico, e consolidado a partir de 2017, com a vinda para a equipe do prof. Pitú Leal, baterista e luthier artesanal.

O curso é dividido em módulos de três meses, com Certificado de Conclusão ao término de cada módulo.
Nas próximas etapas do projeto, além da percussão integrativa, serão incorporadas experiências de canto integrativo, dança integrativa e construção de instrumentos artesanais com materiais reciclados trabalhando a consciência de saúde, qualidade e segurança ambiental em todos os nível. 

O processo atua na harmonização mental e física a partir da percepção dos elementos sonoros naturais, trazidos pela memória emocional / cultural do grupo, resultando na apropriação / construção coletiva de um repertório próprio.

Um dos diferenciais do curso é interagir como auxiliar multi e interdisciplinar introduzindo elementos de outras áreas: Matemática,  Literatura, Poesia, Teatro, Artes PlásticasHistória, Geografia, Filosofia, Física, Química, Biologia, além da própria Língua Portuguesa de forma ludica e brincante.

Estamos obtendo nesses três anos consideráveis melhorias dos educandos nos aspectos sensoriais, emocionais, psicomotores, socializantes e na reabilitação terapêutica.

REGISTROS

O processo é registrado em relatórios, fotos e vídeos atestando a evolução dos alunos. O projeto se apoia nos fundamentos na Antroposofia, Neurociência e pretende aprimorar uma nova metodologia de Ensino Inclusivo, para além da própria Música.


MUSICALIZAÇÃO INTEGRATIVA, UTILIZAÇÃO DE INSTRUMENTOS COM MATERIAL RECICLADO E LABORATÓRIO DE RITMOS.


Os coordenadores:

Guto Maia (José Augusto Maia Baptista) é professor especialista em educação inclusiva, ensino multidisciplinar, palestrante, pesquisador e ativista da inserção de pessoas com deficiências no Mercado de Trabalho; Conselheiro-Gestor (eleito 17/18), do CER-Sé SP; Coordenador do Depto. Musicalização (NEED;  foi professor de adultos (UNIP); Professor de Formação Professores (SENAC) ; Professor de Teatro (Escola Macunaíma); Professor de Jovens Aprendizes (IBFC); Diretor teatral, músico, vocalista, compositor, autor, ator de teatro e cinema. Cursa Licenciatura em Pedagogia (Unicid); cursou Pedagogia (Messiânica), Música (USP, IG&T, CLAM), Ética (USP), Teatro (Macunaíma), Artes Plásticas (UFMG), Literatura (Oficina da Palavra); Arquitetura (Belas Artes), Adm. Empresas (Uni Santana, Brás Cubas); Empreendedorismo (SEBRAE); cursos de Informática, mídias sociais, conteúdo digital e educação inclusiva.  Certificado em Comunicação Verbal pelo Instituto Passadori. É colaborador do Museu da Inclusão do Estado de São Paulo, desde agosto /17,  participando como convidado da preparação do primeiro documento da Agenda 2030 do Plano de Ação das Américas, da ONU.  Ministrou palestras sobre educação inclusiva nas Faculdades Anhembi-Morumbi, Instituto Passadori, Câmara Municipal de Ubatuba, Uniceu Inácio Monteiro, APAE Ubatuba e APAE Santos. Depoimentos: https://goo.gl/h9YfFz. Referências na web: https://goo.gl/6MJtgy. Facebook: @guto.maia Email: maiagutomaia@gmail.com Fones: 9 9378-4603 / 3313-4337.

Pitú Leal é músico com formação em bateria pela Universidade Livre de Música - Antonio Carlos Jobim - ULM, modalidades: bateria (com Beto Caldas), percepção musical, leitura rítmica para bateristas (com Lilian Carmona), ritmos do Brasil (com Nenê Batera), técnicas de groove, orquestra orgânica performática (com Stênio Mendes e Fernando Barba), percussão corporal vocal e sucata sonora. Regente dos grupos Zunidos do Monte Azul e Banda Recapa, músico do Quinteto de Jazz da ULM, músico da Banda Mr. Black, músico do grupo Kosenso. Acompanhou Almir Guineto, Reinaldo, Zeca Pagodinho, Eliana de Lima, Ivone Lara, Jamelão, Luiz Melodia, Beth Carvalho, Tobias da Vai-Vai, Clementina de Jesus, Jovelina Pérola Negra, Sandy & Junior, entre outros. Foi Jurado de Desfiles de Escolas de Samba de Florianópolis e Espírito Santo, entre 2009 e 2015. Trouxe  o xequerê para as escolas de samba de São Paulo, e atuounas como diretor de bateria na Gavioes da fiel, Imperio de Casa Verde, Tom maior e Mocidade independente da Mooca, sendo nestas duas ultimas representado por alunos de projetos sociais. Experiências internacionais: ministrou cursos de percussão brasileira em Chicago/EUA, Angola/África e Lisboa/Portugal. Regente de percussão da Família Crepi (Conexão Real Parque-Icaraí-Ipiranga/SP). Luthier artesanal, é um dos precursores da construção de instrumentos de sucata reciclada com materiais descartados. Constrói pandeiros, alfaias, tamborins, cuícas, cabuletês, ganzás, cajons, e outros criados com exclusividade e nomes originais. Professor de bateria, percussão e Arte Educador de Percussão no Instituto Anchieta Grajaú e no Instituto Yara Angelini - NEED (Núcleo de Especialização em Deficiência Física e Mental), desde 2007. Referências de Pitú Leal na web: https://goo.gl/rqoCEr . Facebook:@pitu.leal

 

SOBRE O CURSO

FORMATO:
Módulos de três meses com aulas às sextas-feiras, certificado e apresentações públicas ao final de cada módulo.

Valor: R$45,00/aula, duração 1h30, dois professores.

Aulas às sextas-feiras, 14 horas.

Inscrições e Informações:
Whatsapp: 11 99378-4603

Whatsapp: 11 97201-4656

LOCAL:

Instituto Yara Angelini (NEED).
Rua Costa Aguiar, 1302 – Ipiranga.
Mapa: https://goo.gl/maps/rVSHTodYSJF2  

Vagas limitadas.

SOMOS BONS EDUCADORES?
Que o sucesso dos nossos alunos seja a nossa reserva de reputação cultivada dia após dia. Isso nos ajuda a construir um patrimônio de amor-próprio e confiança que aumenta em dignidade com o tempo. Um professor tem por missão construir seres humanos melhores que ele próprio.

A considerar que a complexidade das coisas nada mais é que um emaranhado de simplicidades, ignorância é não saber ensinar a busca pelo simples. Viver é básico. Aprender é natural. Ninguém tem o direito de atrapalhar um aprendizado demonstrando-se senhor da Sabedoria.

Somos muito ignorantes. Somos uma ilha num oceano de desconhecimento. Crescemos aprendendo a navegar. Quando enfrentamos o oceano, não sabemos muito bem pra onde ir diante da imensidão que só aumenta. E sempre voltamos para a nossa ilha de segurança. Mas, viver é assumir riscos.
Há momentos em que o maior ensinamento é: "Hoje, mantenha-se vivo e otimista", mesmo com dor, mas sem culpa. Você sobreviveu mais um dia.

Cidades que me dizem respeito

www.doisdobrasil.com
www.doisdobrasil.com/curso.php
#cidadesquemedizemrespeito
#inclusaosemlimites
#doisdobrasil

Por que começar a conversa pela música? Porque: 
A Música nos torna íntimos em poucos acordes.


CIDADES QUE ME DIZEM RESPEITO
Vamos conversar sobre Inclusão?

 
ESTRATÉGIAS DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA INTEGRATIVA
LINGUAGEM, INTERAÇÃO SOCIAL, COMUNICAÇÃO, COMPORTAMENTO
www.doisdobrasil.com